Barbaridade: Homem que matou criança diz que voltou ao local para cortar a cabeça dela


O suspeito de matar a facadas uma criança de 5 anos na porta de uma escola em Betim foi ouvido na tarde desta quarta-feira pelo delegado titular da Delegacia de Homicídios de Betim, Otávio de Carvalho, e confessou que depois de esfaquear a menina estava indo embora e decidiu retornar ao local do crime dez minutos depois para arrancar fora a cabeça da menina, mas foi dominado e agredido pela população que ficou revoltada.

“Ele retorna ao local do crime depois de dez minutos. Segundo ele, ele teria ouvido uma voz novamente que ele teria que voltar ao local do crime para decepar a cabeça da criança e quando ele voltou ao local do crime ele foi abordado pelos populares que passavam a agredi-lo”, disse o delegado.







No depoimento, o homem conta que saiu de casa logo cedo com uma faca de cozinha e quando a vitima passa na rua com a babá ele acertou o primeiro golpe nas costas da vítima, que a babá tentou defender a criança e ele, ainda assim, desfere mais três golpes no tórax e na região do pescoço da vítima. A menina morreu no local.

O autor foi agredido pelas pessoas e depois foi preso pela polícia e levado para a delegacia de homicídios de Betim, onde foi autuado por homicídio duplamente qualificado.

O preso já responde por um furto em 2016, quando foi preso em flagrante, um roubo no ano passado, quando também foi preso em flagrante, e por tráfico de drogas, em dezembro de 2016, quando também foi preso em flagrante e deixou a prisão em agosto deste ano, quando recebeu a liberdade provisória.

Ele disse que teve um surto, que ouviu algumas vozes e essas vozes diziam para ele que ele tinha que matar uma criança inocente. Ele fala que não conhecia a vitima, que estava andando pela via pública e quando viu a criança, que estava de mãos dadas com a babá e com o irmãozinho de sete anos, e ele decide ceifar a vida dessa criança. Ele queria atacar somente a criança. Tanto que a babá  tenta acolher, protege a criança, abraça a criança, ele se vira para esfaquear a criança. Em nenhum momento atentou contra a babá e a outra criança”, disse o delegado.

No depoimento, ele conta que é usuário de cocaína e de crack. Fala que usou drogas pela manhã, antes do crime. A família negou, disse que ele não tinha dinheiro para comprar droga, que ele está desempregado, mas ele fala que estava drogado.

A família disse para o delegado que o suspeito faz tratamento psiquiátrico e tomando medicação controlada, apresentando receituários médicos que serão juntados no processo.

Para a polícia, ele agiu de forma consciente e sabia o que estava fazendo, disse o delegado.

O autor confesso das facadas disse em depoimento que começou a ouvir as vozes a cerca de duas semanas,  que as vozes eram de um patrão dele, dizendo para ele matar uma criança inocente, mas não falou nada sobre seitas ou qualquer discriminação contra crianças, idosos e negros.

O suspeito disse ainda que já havia tentado sair de casa antes para matar uma criança, mas que a família não deixou. Disse também havia faltado coragem, que nesta quarta-feira, ele teve coragem e cometeu o crime.

Para o delegado, é lamentável que ele estivesse solto depois de cometer crimes graves anteriormente. “Para a polícia ele é capaz, tanto que foi lavrado  o auto de prisão em flagrante e ele está sendo encaminhado para o presídio de Contagem, onde ficará à disposição da Justiça. É possível que a defesa ou o próprio Ministério Público entrem com um incidente de insanidade mental, quando ele será avaliado e verificado essas circunstâncias”, disse o delegado. 

Ele respondeu todas as perguntas feitas pelo delegado, que considera que o suspeito agiu com conhecimento e capacidade sobre o crime que cometeu. Perguntado se estava arrependido, ele disse que sim.

O Tempo





Postar um comentário

0 Comentários